BenficaDesportoNacionalNotícias

‘Power Ranger’ Goldson salva Schmidt e Benfica decide passagem na Escócia

Encarnados tiveram de anular duas situações de desvantagem para alcançarem o empate na noite fria de Lisboa. Tudo será decidido em Glasgow na próxima semana.

Continua a série de jogos sem vencer do Benfica. Na receção desta quinta-feira ao Rangers, em jogo a contar para a primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa, o clube da Luz teve de anular duas desvantagens para alcançar um empate (2-2) diante da formação escocesa que deixa tudo em aberto para o encontro da segunda mão em Glasgow.

Lawrence abriu a contagem em Lisboa, antes de Di María e Sterling marcarem ao cair da primeira parte. Um autogolo de Goldson, que se revelou um verdadeiro ‘filho de ouro’ para Roger Schmidt, já na segunda parte igualou a eliminatória que seja finalizada na próxima semana na Escócia.

Filme do jogo:

Em relação à copiosa derrota sofrida diante no FC Porto no Estádio do Dragão (5-0), Roger Schmidt promovou quatro alterações, com Alexander Bah, Florentino, David Neres e Arthur Cabral a entraram para os lugares de Morato, João Mário, Kökçü e Tengstedt. A presença do jovem Diogo Spencer no banco de suplentes foi também ela uma grande novidade.

Contrariamente a encontros anteriores, e sob brasas após duas derrotas frente aos dois princiapsi rivais, a equipa lisboeta entrou melhor do que o adversário, que contou com Fábio Silva no onze inicial, e a pressionar forte a formação escocesa. Logo aos cinco . minutos, David Neres obrigou Butland a uma defesa apertada. Mas a primeira grande surpresa do jogo aconteceu ao minuto 7 e numa jogada que contou com a participação de Fábio Silva. O ex-FC Porto desmarcou Diomande, este cruza para trás e Lawrence cabeceou à vontade para o fundo das redes à guarda de Trubin, aproveitando o muito espaço concedido no último terço encarnado.

O Benfica reagiu bem a este golo sofrido na parte inicial da partida e esteve perto de empatar em cima do minuto 14. David Neres rematou rasteiro da esquerda para o primeiro poste e Butland respondeu com uma grande defesa. Arthur Cabral ainda tentou a recarga, mas o tiro sofreu um desvio e depois o guarda-redes conseguiu agarrar a bola. Seguiram-se alguns minutos

Após uns minutos iniciais em que a equipa encarnada encontrou enormes dificuldades em sair a jogar, as águias conseguiram começar a instalar-se no meio-campo adversário e a criar maior número de ocasiões perigosas. Pouco depois da meia hora de jogo, Di María recebeu um grande passe de David Neres e, no seguimento do lance, caiu no chão. Pedou-se penálti nas bancadas, mas nada foi assinalado pelo árbitro Tobias Stieler. Já mais perto do intervalo, o mesmo avançado brasileiro surgiu com espaço na esquerda e atirou cruzado para uma defesa de Butland com a ponta da bota.

A pressão intensa dos lisboetas na reta final da primeira parte acabou por se reverter no golo do empate. Depois de uma mão na área do Rangers, Di María foi chamado a converter uma grande penalidade e não desperdiçou (45+1′). No entanto, e quando se pensava que o encontro iria empatado para o tempo de descanso, eis que os escoceses voltaram a marcar na Luz. Com um jogador do Rangers caído na área, depois de um choque com Trubin, Fábio Silva apareceu na esquerda e cruzou para o coração da área, onde Sterling surgiu nas costas de Aursnes para fazer o 2-1.

Sem tempo a perder para tentar dar a volta ao marcador, o Benfica, que não sofreu alterações ao intervalo, manteve a mesma pressão alta com tinha terminado a etapa inicial. Mas com um desperdício como o de Neres ficava difícil alcançar esse intento. Ao minuto 51, Rafa Silva desmarcou-se pela direita, largou a bola em Neres que, dentro da área, procurou ajeitar demasiado a bola e perdeu tempo para o remate à baliza dos protestantes.

O Rangers não se intimidou por esta entrada mais mandona do Benfica na segunda parte e Fábio Silva esteve perto de assinar o terceiro dos visitantes aos 61 minutos. O português apareceu solto na pequena área do Benfica e atirou para grande defesa de Trubin. Já com Marcos Leonardo em campo, que rendeu Arthur Cabral, acabaria por surgir o golo que valeu o 2-2 ao Benfica. Após um livre batido por Di María, Goldson tentou o corte de cabeça, mas acabou por desviar o esférico para a sua baliza e enganar o seu guarda-redes. É caso para dizer que o central foi mesmo um ‘filho de ouro’ (tradução inglesa de Goldson) para Roger Schmidt.

Este remate certeiro lançou o Benfica para uma reta final em que desperdiçou algumas oportunidades para assinar a reviravolta. Aos 70 minutos, e depois de um bom passe de Rafa Silva, Di Maria tinha tudo para fazer o golo, mas no cara a cara com o guarda-redes Jack Butland atirou ao lado. O mesmo argentino voltou a tentar a sorte ao minuto 79, mas o remate de pé direito acabou por esbarrar contra vários adversários.

Já em tempo de descontos, novo desperdício dos encarnados. Depois de um cruzamento de João Neves, Otamendi deixou a bola redonda nos pés de Rafa, mas o português atirou muito por cima e adensou a crise do Benfica.

As equipas voltam a encontrar-se na próxima quinta-feira (dia 14, às 17h45) no Ibrox Stadium, em Glasgow, para decidirem quem avança para os quartos de final da prova.

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button